a propósito [blog]

Geração Impossível

(2018. in APNEIA n.4) Sei exactamente onde e quando estou. A individualização pressupõe a singularidade. Dominante alterado. Indivíduo assume-se plural. (des)Desindividualização. Somos resultado de uma experiência, ora Se assim não fosse, que seríamos? “No meu tempo…” No meu tempo o tempo já não aceita possessivos. E isto não é um pedido de ajuda. E istoContinue reading “Geração Impossível”

INDIGNAI-VOS!

Mas antes permitam-me a Interferência: Há uns meses comecei um novo projecto editorial na Interferência. Eis que se vê livre das amarras do “vou fazer e ainda não fiz” a rubrica INTERFERÊNCIA em parceria com a Gerador com curadoria minha. Uma rubrica quinzenal sobre nova música, processos criativos, pedagogia musical, tecnologia da música e tudoContinue reading “INDIGNAI-VOS!”

fora de horas

Os filmes biográficos pegam na vida das pessoas e dão-lhes importância lá pelas 3 da manhã.

Setas →⤵↝↞

웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃 웃

Post-its e Molas

(às vezes) a vida é feita de post-its e molas. (porque os post-its já não se seguram sozinhos.)

Half-Man

He’s a half-man.
He’s half the man he was promised to be.
He’s a walking-lie-ever-changing-anthropomorphic half-man.

Us, the flowers

Us, the flowers, thought our time to be cut short only to grow stronger. The need to release the past to breed the future selves.